NO FUTEBOL JÁ NINGUÉM PRESCINDE DO FÓRUM DE TREINADORES

NO FUTEBOL JÁ NINGUÉM PRESCINDE DO FÓRUM DE TREINADORES

O Fórum dos Treinadores de Futebol/Futsal, organizado pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) é já uma marca de que não se pode prescindir a cada época que passa. Vai na sexta edição, realizada nos dois últimos dias em Gondomar, no âmbito da Cidade Desportiva do Desporto de 2017, e já ninguém passa sem ele.

Fernando Santos, Selecionador Nacional homenageado em Gondomar, apresentou-se sem assombro: “Se perdes, vais para a rua. Os projetos não existem. Estamos sempre condicionados pelos resultados e isto vai ser cada vez pior, afirmou, taxativo, Fernando Santos, partilhando as honras da homenagem de que foi alvo com os treinadores presentes: “Uma vitória de Portugal e dos treinadores. Estamos acima da média. Este prémio também é vosso. Cada treinador pensa à sua maneira. 90 por cento das discussões neste fórum são sobre problemas e não sobre soluções. Os treinadores portugueses têm uma grande capacidade de improviso”, acrescentou o selecionador.

Jorge Jesus, treinador do Sporting Clube de Portugal que celebrou os 500 jogos no escalão máximo do futebol nacional, não alinhou o seu discurso por menos: “É preciso paixão pelo futebol, independentemente da divisão. Depois, as tuas capacidades é que vão direcionar a tua carreira, mas com paixão atinges os teus objetivos. Um treinador é um criador, foi assim que me formei. Como tal, não há livros que digam como vamos ser campeões.

Na véspera, já Manuel Machado, antigo técnico do Arouca, tinha dito, sem papas na língua, que “o futebol está chato, cada vez mais chato”. Sentado à mesa estava também Miguel Leal, atual treinador do Boavista, que discorda da observação do professor, advogando que o desenvolvimento do futebol não torna necessariamente o jogo mais enfadonho. «Considero que o jogo está diferente em muitas coisas: na competitividade, na intensidade. Talvez haja menor beleza artística do ponto de vista individual, mas agora joga-se este jogo, por isso temos que trabalhar no contexto em que estamos inseridos», referiu.

Foi assim, em ping-pong reflexivo, que se viveu nos dois últimos dias, no Multiusos de Gondomar. Por lá passaram, também, outros nomes grandes do futebol/futsal nacional, como Luís Campos, Henrique Calisto, Mariano Barreto, Manuel José ou Luís Conceição. E a ANTF aproveitou para homenagear ainda Humberto Coelho, Toni, Vítor Oliveira, Pedro Gomes, Ferreirinha e Hélio Sousa, por exemplo.

O Secretário Estado do Desporto, João Paulo rebelo, marcou presença e aplaudiu.